Que significa Retrofit Afinal?

Surgido na Europa e Estados Unidos, o conceito de “Retrofit”, significa “colocar o antigo em forma” (retro do latim “movimentar-se para trás” e fit do inglês, adaptação, ajuste), termo cada vez mais ouvido pelos gestores aplicado ao processo de revitalização de edifícios.

Mais do que uma simples reforma, ele envolve uma série de ações de modernização e readequação de instalações. O objetivo é preservar o que há de bom na construção existente, adequá-la às exigências atuais e, ainda, estender a sua vida útil.

A necessidade surge quando uma instalação chega ao fim de sua vida útil, quando os custos de operação e manutenção se elevam consideravelmente. O momento do retrofit é uma oportunidade de corrigir distorções que são criadas e acumuladas ao longo do tempo de uso e vida de uma instalação, alem de atualizar o sistema existente de acordo com as atuais normas, redução de custos operacionais, economia de energia e valorização do imóvel. Quanto mais antiga a edificação, maior o beneficio do retrofit.

A economia de energia pode chegar a 40%, eficiência energética, custo-benefício, atendimento às normas, conforto térmico, qualidade do ar são alguns dos itens ligados diretamente à necessidade de se fazer um retrofit. Projetistas têm importante participação no processo.

Retrofit Energético

Um retrofit energético é um retrofit focado no consumo de energia e na geração própria de energia elétrica. O termo também é usado para adaptar as instalações de energia a novas regras e normas.
As normas de iluminação e eficiência energética são bem mais restritivas atualmente. Esta é uma questão importante. Realizar um investimento num retrofit energético e não atender as normas atuais não é raro.